Sensatez

agosto 2, 2010

Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor.” (Efésios 5:17 ARA)

Por Mário Fernandez – ICHTUS

A associação entre sensatez e compreender os caminhos do Senhor é inevitável, especialmente neste versículo onde está explícito. Mas talvez o que mais chama a atenção é o quanto as pessoas tem ansiedade quando se trata de saber o que Deus quer, a famosa “vontade de Deus”. Lembro de longas discussões com colegas e professores na época que estudava teologia.

O fato que não se pode evitar de pensar é que nem todo mundo está preocupado em ser sensato. O que faz sentido na vida de uma pessoa espiritual é a vontade de Deus, isso é o de bom senso, é o sensato. Claro, porque as aspirações de um espiritual, são igualmente espirituais assim como os desejos de um carnal são carnais.

Compreender a vontade de Deus não é o que as pessoas julgam que seja. A maioria se confunde com conhecer a vontade de Deus, no sentido de saber o que Deus quer e isso já está na Palavra, a Bíblia está cheia disso. Ame o teu próximo, seja generoso, semeie, seja fiel, santifique-se. Só por isso já se tem como saber a grande maioria das questões em termos de conhecer a vontade de Deus. Mas compreendê-la, realmente é outra coisa, são outros 500.

Compreender tem a ver com encontrar o sentido e o objetivo de alguma coisa. Tem a ver com alcançar a idéia central de alguma coisa. E a vontade de Deus, o que ela visa, para onde ela aponta, qual sua idéia central? A mim parece que vai além do entendimento de muitos que nos rodeiam.

Deus quer que o maior número de pessoas possível seja salva. Todo restante, meu irmão, é apenas para que isso aconteça. Nossa edificação contribui para isso, mas se a meta fosse apenas essa era melhor ser arrebatado na conversão. Temos a eternidade para adorar, então também não é isso. Não nos tornemos insensatos, compreendamos que Deus quer o mundo salvo, até os confins da Terra.

Pai, ensina-me a ter foco nas coisas do Teu Reino para que eu não gaste energias naquilo que não aumenta minha compreensão da Tua vontade.”


Você já pensou em fazer de seu filho um discípulo?

maio 10, 2010

Queridos leitores (as), a ideia de postar toda semana um devocional é para ajudar os casais a terem um momento de reflexão sobre o casamento, sobre o companheiro (a) e com Deus. Isso deveria ser feito todos os dias, mas até todos criarem o hábito, pode ser feito uma vez por semana. Na verdade não há regras, porém nós sempre conseguimos (querendo ou não) ter tempo para inúmeras coisas – trabalho, escola, amigos, família etc. Mas para Deus é sempre mais difícil. Alguns podem pensar que, por exemplo, trabalho é necessidade, pois bem: relacionamento com Deus também! E, por favor, fiquem atento para criar isso por decisão, mas sem precisarem, porque na dor tudo fica mais difícil, e mais dia, menos dia, todos precisarão ter um relacionamento com Deus – Jesus é a luz de nossas vidas.

Tenham uma boa semana. Deus abençoes todos vocês!

—————————————————————————–

Você já pensou em fazer de seu filho um discípulo?

(Do livro Devocional para Casais de Jaime e Judith)

“Pela recordação da tua fé sem fingimento, a mesma que habitou em tua avó, Loide, e em tua mão Eunice…” 2 Timóteo 3.5

Discípulo? A palavra não me era estranha, pelo contrário, era muito familiar, porque estava casada com um missionário. Tinha até viajado mais de 10.000 quilômetros para “fazer discípulos de todas as nações”! Mas nunca pensara em fazer de minhas filhas discípulas.

Sem dúvida a responsabilidade de disciplinar os filhos ainda recai sobre o pai, o líder espiritual da família, sacerdote do lar: contudo as Escrituras também dão muita importância ao papel da mãe.

Um exemplo disso é Timóteo. Ele sempre serviu de modelo do que significa discipular. Todos nós gostaríamos de realizar na vida de outras pessoas o trabalho que Paulo fez na vida de Timóteo.

Mesmo assim, Paulo não quis assumir todos os méritos pelo treinamento de Timóteo. Em 2 Timóteo 1.3-5, ele escreveu ao seu filho na fé:

Dou graças a Deus, a quem desde os meus antepassados, sirvo com consciência pura, porque sem cessar me lembro de ti nas minhas orações., noite e dia. Lembrado das tuas lágrimas, estou ansioso por ver-te, para que eu transborde de alegria, pela recordação que guardo da tua fé sem fingimento, a mesma que primeiramente habitou em tua avó Loide, e em tua mãe Eunice, e estou certo de que em tia também.

Antes mesmo de Paulo conhecer Timóteo, sua mãe Eunice, já estava lhe dando a base dos princípios da fé cristã.

O plano de Deus é que suas verdades sejam passadas de uma geração a outra, de pai para filho.

Pense no princípio da multiplicação! Imagine o impacto que poderíamos causar no mundo se cada cristão discipulasse seus filhos, e estes filhos, por sua vez, fizessem o mesmo com os seus, tornado-os capazes de também ensinar outros.

Pense nisso: Você já pediu a Deus para ajudá-lo (a) a fazer de seu filho um discípulo? Você tem sido um discípulo do Senhor, incentivando, assim, seu filho a também se tornar um discípulo?


Sogras x Noras

maio 3, 2010

Por Sandra Torres, do Devocional de Sogras x Noras

Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos.” (Salmos 119:71)

Como mulher e esposa cristã, sempre cultivei o idealismo sonhador de que meu relacionamento com minha sogra deveria ser como o de Rute e Noemi, descrito no livro de Rute. Depois de aproximadamente 10 anos de convivência, as três mulheres (Noemi e suas duas noras), se encontram viúvas e Noemi decide voltar para sua terra. Ela fala para suas noras que estas devem voltar também para a casa da mãe delas, e o interessante é que o texto fala que elas choraram em alta voz (Rute 1:9). Isto é pranto. A idéia da separação levou-as a prantear de dor. Que amor, que união devia haver nestes relacionamentos! Embora Orfa tenha voltado para junto dos seus familiares, no verso14 diz que ela se despede chorando novamente em alta voz.

Então, de novo, choraram em voz alta; Orfa, com um beijo, se despediu de sua sogra, porém Rute se apegou a ela.” (Rute 1:14)

Já Rute decide permanecer com sua sogra e temos aí um dos trechos mais usados em cerimônias de casamento, que as noivas gostam de citar para seus noivos. Mas esta é uma declaração da nora para sua sogra:

Disse Noemi: Eis que tua cunhada voltou ao seu povo e aos seus deuses; também tu, volta após a tua cunhada.
Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me obrigue a não seguir-te; porque, aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus.
Onde quer que morreres, morrerei eu e aí serei sepultada; faça-me o SENHOR o que bem lhe aprouver, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti.
Vendo, pois, Noemi que de todo estava resolvida a acompanhá-la, deixou de insistir com ela.” (Rute 1:15-18)

Confesso que isso sempre me incomodou, porque depois de 23 anos de casamento meu relacionamento com minha sogra não é nem um pouco parecido com este. Temos uma convivência pacífica, mas distante e formal. Tratamo-nos com respeito e educação, mas não temos intimidade nenhuma. Mesmo agora, passando por um período de 4 meses na mesma casa onde, por uma questão de enfermidade, cuidei dela estas barreiras não caíram.

Certamente se fôssemos tratar disso detalhadamente teríamos muito para falarmos e estudarmos, mas não é este o caso no momento. O que eu quero ressaltar aqui é que mesmo sendo cristã, amando a Deus e procurando fazer tudo conforme sua palavra, há situações que não dependem só de nós e de nossos esforços, creio que foi por situações como essa que Paulo escreveu:

se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens;” (Rm 12:18)

No que depender de vós”, ufa! Isso me acalmou e me trouxe paz ao coração, porque eu realmente me sentia falha, como que reprovada nesta situação. Foi neste momento em que, mesmo fazendo minha parte, não conseguia os resultados que esperava, foi exatamente ai que Deus removeu todo o idealismo sonhador no que se referia ao meu relacionamento com minha sogra. Foi como se um peso saísse de sobre mim. Eu tenho feito minha parte. Mas há coisas que só Deus pode fazer, por mais idealismo que tenhamos não depende só de nós, e o que Deus espera é que façamos a nossa parte.

Em pouco tempo eu estarei do outro lado deste tipo de relacionamento. Em poucos meses me tornarei sogra de fato e de verdade e o que eu vou fazer? Farei tudo o que depender de mim para que eu e minha nora tenhamos um relacionamento como o de Noemi e Rute. Aquilo que depender de mim, e se assim mesmo as coisa não saírem como esperamos, posso ter paz e ser feliz se tiver feito a minha parte.

Oração: “Pai ajuda-me a sempre fazer tudo o que estiver a meu alcance para que tua Palavra seja cumprida principalmente em meus relacionamento, Amém.”


Não vá para a cama com ela!

abril 12, 2010

Do livro Devocional para Casais de Jaime e Judith. Esse livro deve ser lido diariamente, enriquece e edifica a vida dos casais. Boa leitura!

Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha, e não dêem lugar ao diabo. Efésios 4.26.27

Você já sentiu raiva do seu cônjuge? Eu já senti e é claro que você, que é casado (a) já passou por isso também. Todos experimentamos os mesmos sentimentos uma vez ou ourtra, afinal, somos humanos! O próprio Jesus sentiu-se assim!

As Escrituras desafiam: Quando vocês ficarem irados, não pequem…O princípio chave aqui não é que não devemos nos enraivecer mas, quando isso acontecer, não devemos pecar. Precisamos expressar nossa ira de maneira construtiva. Penso que existem muitos crentes que consideram a ira pecado. É por isso que diversas pessoas tentam reprimi-la. Ficamos irados com alguma coisa no trabalho, no trânsito maluco da cidade ou quando um amigo falha conosco. Finalmente, chegamos em casa fervendo de raiva e semelhantemente a um vulcão em erupção, lançamos toda lava sobre os mais próximos, geralmente nossos filhos e, principalmente, nosso cônjuge. A ira nos leva a pecar expressando a raiva dessa forma, que é o oposto do que Paulo nos aconselha.

Existem maneiras de se lidar com a ira, sem pecar:

– Reconhecer que a ira existe,

– Refletir calmamente no motivo que a provocou

– Verbalizar adequadamente essa ira ao ofensor

– Entregar a questão ao Senhor

– Não insistir no assunto, não se deter tempo demais nisso, prosseguir a vida normalmente.

Há um enfoque todo especial na frase: …Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha… . Isto quer dizer que não devemos ir dormir com raiva. Quando permitimos que a amargura permaneça em nosso coração durante dias ou até meses e anos, ela se infiltra em nossa alma, tentando perpetuar-se. Paulo diz que ao adiarmos o arrependimento e o perdão, favorecemos o Satanás (Efésios 4.27).

Você está com raiva de algo ou de alguëm? Se sua resposta for sim, você pode identificar por quê? Se não consegue fazer isso por si mesmo, estaria disposto (a) a buscar ajuda de um conselheiro?

É minha oração que vocês durmam diariamente um sono realmente tranquilo no tocane à certeza de que…o sol não estä se pondo sobre sua ira.

Pense nisso:

Se vocês ofenderam ou feriram seu cônjuge durante a última semana, aproveitem a oportunidade para pedir perdão a ele (a) e em seguida orem juntos.


Honrando Sua Esposa

março 29, 2010

Arquivado em: Homem — Vinicios Torres

Igualmente vós, maridos, … dando honra à mulher, … para que não sejam impedidas as vossas orações..” (1 Pedro 3:7 AA)

Muitos homens estão fazendo orações ineficazes, que não recebem respostas, e não sabem disso.

Muitos incorrem em um erro extremamente comum sem se aperceberem que estão quebrando um princípio bíblico.

Muitos não estão honrando as suas esposas… (alguns nem mesmo sabem o que é isso).

Ouça o podcast e descubra algumas idéias para liberar a sua oração e transformar seu relacionamento com sua esposa.

Acessem o link:

http://www.ichtus.com.br/hh/2007/05/18/honrando-sua-esposa/


1 ano de TatiB-log

outubro 21, 2009

Parabénssssss!!!!!!!
Pessoal, esse mês estamos fazendo um ano de blog. Iuhuuuuuu!!! Passou rápido, né? E claro, eu preprarei uma pequena retrospectiva sobre o TatiB-log.

2009, 2008…tunel

Ele surgiu na brincadeira, eu não parava de falar sobre meu casamento, queria compartilhar cada momento e tirar as dúvidas com outras noivas que estivessem passando pelo mesmo momento que eu. No começo foi difícil manter o blog atualizado, aliás, ainda é, mas já melhorou um pouco. Consigo escrever com bem mais frequência e hoje, principalmente, não compartilho cada detalhe desse momento — que para mim é muito especial, só com noivas, mas também com amigos – de perto, de longe, com a família e até, com desconhecidos. E isso é bom demais. Você faz amizade e percebe a magia da felicidade dos outros.

É muito legal você ler alguma coisa especial mesmo se for de alguém que você nem conhece. Porque aí, você começa a entender e gostar, mesmo sem conhecer. E no final, de tanto lermos as coisas dos outros, acabamos, de uma maneira ou de outra, conhecendo! E é exatamente isso que me encanta nos blogs.

Resumindo, tem sido maravilhoso compartilhar esses momentos com todos vocês, inclusive, eu me aproximei e conheci, de verdade, pessoas que antes eu tinha pouco contato.

bexigaTodo mundo me pergunta se o blog vai terminar depois de dezembro e eu já adianto, não vai não!

Depois do casamento, vai ter a vida de casada, vou ter mil coisas para escrever, aliás, o pessoal que gostou das receitas publicadas vão ler sobre isso muito mais em 2010, afinal, eu vou começar a cozinhar!!!! É, o Noivo que se cuide, ele vai ter que provar tudo e ainda dizer, que delícia! Rsrsrs.

Depois, vou escrever sobre os filhos — sim, eu sou planejada e acredito que venham uns três por aí, rs. E quem sabe, quando eu tiver velhinha e cansada, eu passo o posto para os herdeiros 🙂

Bom, nesse um ano de TatiB-log eu falei de tudo um pouco, da minha futura casa, da “quase” antiga, da família, padrinhos, madrinhas, daminhas, pajen, amigos, fornecedores – e haja fornecedores, falei de Deus – que é a base e sustentação de qualquer relacionamento, falei até do meu trabalho, dos panes no sistema – e haja panes, rs! A gente compartilhou lindas histórias das minhas amigas queridas na editoria “Amigas de Honra”, degustamos as receitas das noivinhas, e claro, demos boas risadas.

Nesse um ano também muitas pessoas me ajudaram, minha família – minha mãe sempre me deixa recado — lindos, por sinal, os amigos – Pri Moraes foi a recordista de recados – valeu, amiga!, e os desconhecidos que me deram apoio, sempre me escreveram. Até os homens que não são tão chegados no assunto deixaram suas marcas, rsrs, e por último, na lista de fornecedores o maior apoio foi da minha xará Tatiana Vasques, da Acontece Consultoria e Assessoria de Eventos. Além de ajudar com a organização do casamento, ela ajudou as noivinhas no SOS Cerimonial, deu dicas de matérias para eu escrever e claro, ajudou na divulgação do TatiB-log.

Obrigada, pessoal! E que a gente esteja juntos aqui, novamente, em 31 de outubro (aniversário do TatiB-log) de 2010 comemorando mais um ano. Enquanto isso, não deixem de acessar, comentar e divulgar o TatiB-log.

Até mais,

Tatib


Casamento

setembro 28, 2009

Sempre quis receber um devocional sobre casamento e este não poderia ser melhor. Espero que seja benção na vida de todos os casais!

Por Mário Fernandez

Por isso, deixará o homem a seu pai e mãe [e unir-se-á a sua mulher], e, com sua mulher, serão os dois uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne.” (Marcos 10:7-8 ARA)

Quando o assunto é casamento que vai mal, geralmente o ponto central são as brigas. Há obviamente os casos de adultério, violência, bebedeira, marido que não quer trabalhar, mulher que não cumpre suas tarefas – mas as brigas são de longe a maior incidência de reclamação.

Por que brigam? Simples e cristalino como água pura. Porque NUNCA entenderam este texto bíblico. Salvo alguma esquizofrenia, uma pessoa “normal” tem um único caráter e um único posicionamento moral. Uma pessoa não briga consigo mesma, salvo algum distúrbio. Uma pessoa equilibrada vive primeiramente em paz consigo mesma e dedicada à sua própria satisfação e realização.

Assim deveria ser o casamento, pois ao me tornar um com minha esposa não tenho mais motivo pra brigar – somos um, estaria brigando comigo. Ao me dedicar à minha satisfação olho para o UM que formamos juntos e não somente para a minha metade. Ao tentar ser feliz, quero fazer feliz ao UM que formamos.

A pergunta que não quer calar é como se tornar um no mundo em que vivemos. Bem, sem Deus é impossível. O favor e a graça de Deus permitem isso, proporcionam unidade. Assumir uma missão de embaixador do Reino de Deus neste mundo, olhar para as coisas do alto, acumular tesouros no céu. Tudo isso ocupa o lugar das brigas. O resto se resume a diálogo, comunicação, troca de expectativas, e muita muita muita vontade de acertar. Trata-se de ceder, abrir mão agora para ganhar depois.

A compreensão do que é viver neste mundo para Deus sufoca o egoísmo e faz do casamento uma aliança duradoura e prazerosa em todos os sentidos. Claro, para viver do meu jeito natural e pelos valores deste mundo, é só trabalhar para ganhar dinheiro para ter dinheiro para gastar para ter de ganhar mais ainda (não coloquei as vírgulas de propósito, isso deixa as pessoas sem ar).

Deus amado, sei que o Senhor tem planos para todo mundo, mas as vezes não consigo entender o meu. Ajuda-me a encontrar minha linha de caminhada neste mundo para que, quer casado quer não, eu viva para Te agradar.”